" />

Arquivos do Mês: janeiro 2011

Roterdã polui 20 vezes mais que São Paulo

Entre as cidades brasileiras, capital paulista ficou em terceiro, atrás de Rio de Janeiro e Porto Alegre

Na matéria de capa da Isto é On line, em 26 de janeiro de 2011, somos alertados dos altos índices de poluição que nosso planeta vem sendo vítima. Segue:

As metrópoles brasileiras emitem em torno de um décimo de gases de efeito estufa em comparação a grandes cidades americanas como Denver e Washington. É o que aponta um estudo realizado pelo Instituto Internacional para o Meio Ambiente e Desenvolvimento (Iied, na sigla em inglês), com recursos do Banco Mundial. Com base nas emissões per capita da população, o relatório analisou 100 cidades em 33 países.

Do Brasil, foram incluídas no estudo São Paulo, Rio de Janeiro, Goiânia e Porto Alegre. O Rio é a metrópole que mais emite gases-estufa (2,1 toneladas de poluentes por habitante/ano), seguida de Porto Alegre (1,48 t/habitante/ano) e São Paulo (1,40 t/habitante/ano). No mundo, a cidade de Roterdã, na Holanda, é a que registra maior emissão per capita (29,8 t/habitante/ano), seguida de Denver (EUA) e Sydney (Austrália).

"As grandes cidades têm sido responsabilizadas por contribuir com o aquecimento global. Mas muitas delas têm emissões per capita baixas, mesmo com elevado grau de urbanização e consumo de seus habitantes", afirma Daniel Hoornweg, autor do estudo e especialista em urbanismo do Banco Mundial. Um exemplo são cidades europeias como Paris (5,2 t/habitante/ano), que responde por menos da metade das emissões de um morador de Shangai, na China (11,7 t/habitante/ano).

Segundo o estudo, as emissões urbanas per capita refletem a estrutura econômica das metrópoles. Uma cidade com indústrias pesadas, uso massivo do transporte individual e energia gerada por carvão produzirá mais emissões que uma cidade de economia baseada em serviços, com boa infraestrutura de transporte público e com energia produzida em hidrelétricas.

----

Agora perguntamos: qual será o preço que precisaremos pagar pelo crescimento desenfreado e sem controles de nossas indústrias? Sustentabilidade é possível, basta investir e inovar.

Patrícia

Fonte: ROTERDÃ polui 20 vezes mais que São Paulo. Isto é Independente,26/01/2011. Isto é Tecnologia & Meio Ambiente. Disponível em <http://www.istoe.com.br/reportagens/121589_ROTERDA+POLUI+20+VEZES+MAIS+QUE+SAO+PAULO?pathImagens=&path=&actualArea=internalPage >. Acessado em 28/01/2011

Clima versus Lixo

“Lixo visto na manhã desta terça-feira (14) na Avenida Professor Luiz Ignácio de Anhaia Mello, na Vila Prudente, zona leste de São Paulo. O material foi arrastado para a via após a enchente que atingiu a região na tarde da segunda-feira (13)”, assim dizia a matéria em 14 de dezembro de 2010, no site www.r7.com

Diante da tragédia climática que assola o país neste início de ano, temos a urgência de refletir para tentar entender o que está acontecendo com o nosso planeta.

A falta de controle e planejamento no crescimento das cidades e a falta de consciência da população fazem com que fenômenos naturais, que sempre ocorreram e fazem parte da renovação da Terra, causem desastres sem precedentes.

O Estado tem sua parcela de culpa pela omissão e falta de fiscalização em áreas consideradas de risco, porém o nosso mau hábito em não dar o destino correto ao lixo que produzimos agrava e muito a situação das enchentes, como vemos todos os dias na programação televisiva.

Passei por uma experiência na madrugada do dia 21 para 22 de janeiro. Uma chuva que nunca vi na minha vida com tanta força. Acordei-me às 02h53minh em plena madrugada, assustada com o estrondo que a chuva fazia. Logo a preocupação tomou conta, porque apesar de morar próximo ao mar, a rua em que resido atualmente sofre com as cheias.

Resumindo, a rua alagou, entrou no terreno e por sorte não entrou em casa, mas os vizinhos tiveram suas residências invadidas pela água.  A rua é sem saída, fechada por residência particular, que teve seu portão arrombado pelos moradores para a água passar. No dia seguinte, o proprietário recolheu um enorme saco de lixo, desses industriais, cheio de entulhos. Não eram madeiras de árvores não, era lixo que a população gerou e não destinou aos locais corretos.

Sabemos que existem inúmeras falhas no planejamento das cidades, mas se cada um cuidasse de reciclar seu lixo e destinar aos locais certos e não nas ruas e bueiros das cidades, essa situação seria amenizada e teríamos total razão na cobrança ao poder público em cumprir sua parte!

Nestas horas de comoção extrema, diante de tragédias onde vidas foram ceifadas, paro e penso: - Temos nossa parcela de culpa. Vamos nos conscientizar de que podemos e temos que fazer a nossa parte. Uma linda música cantada pelo Fábio Júnior diz: “Sozinho não somos nada, mas juntos podemos tudo. Se a gente acredita é possível fazer mais feliz nosso mundo”.

É possível, basta fazer. Um exemplo, diante de inúmeros, são as garrafas de pet, que podem ser transformadas em camisetas e outros itens. A mudança começa em cada um de nós. Pensando nisso, que tal dar uma olhada em nossa loja? www.camisetafeitadepet.com.br

Abraços,

Patrícia

 Fonte:

APÓS chuva, lixo se acumula na Vila Prudente. Portal r7, São Paulo, 14/12/2010.

Notícias. Disponível em <http://noticias.r7.com/sao-paulo/noticias/apos-chuva-lixo-se-acumula-na-vila-prudente-20101214.html>. Acessado em 27/01/2011.

Vamos denunciar crimes contra a natureza!

O mau prevalece porque os bons são omissos...

Na edição on line da Revista VEJA, está disponível um link com os principais contatos de cada Estado que recebem denúncias de crimes contra a natureza. Os órgãos competentes precisam da nossa ajuda para fiscalizar os atos criminosos em nosso país. Faça a sua parte:

Um guia para quem quer denunciar crimes contra a natureza

Em parceria com a SOS Mata Atlântica, a maior entidade ambientalista do país, VEJA on-line está oferecendo um roteiro para quem quer denunciar crimes contra a natureza. São endereços, telefones e páginas na internet dos órgãos públicos ligados à preservação do meio ambiente, catalogados Estado por Estado. Trata-se da parte principal de um guia completo produzido pela SOS Mata Atlântica, que traz ainda explicações sobre a legislação ambiental e dados dos projetos realizados pela entidade. Ao clicar em qualquer Estado do mapa abaixo, você saberá como e para quem denunciar cada tipo de crime. Acesse: http://veja.abril.com.br/idade/ecologia/index.html Patrícia Fonte: VEJA Ecologia. Veja On Line. VEJA Ecologia. Disponível em <http://veja.abril.com.br/idade/ecologia/index.html>.  Acessado em 31/01/2011.